HISTÓRIA DA CIDADE

   

Características geográficas
220,425 km²
3.665 hab. est. IBGE/2009 [2]
{{{população_metro}}} hab. est. IBGE/2009 [2]
17,3 hab./km²
1.000 m
tropical de altitude cwb

 

No centro do Circuito dos Queijos

Em Minduri foi fabricado o primeiro queijo camembert do hemisfério sul. E a técnica de fabricação do queijo minas frescal para torná-lo menos perecível – hoje adotada em todo o Brasil – foi inventada na cidade por Hans Norremose que neste ano completo 101 anos

Transformar o leite em queijo de qualidade continua sendo a principal atividade de Minduri e cidades vizinhas. Não é à toa que a região localizada no sul de Minas Gerais, na microrregião de Andrelândia, passou a ser chamada de Circuito do Queijo. É dali que sai 1/3 da produção nacional, incluindo cerca de 80% da produção brasileira dos chamados queijos especiais, que concorrem com os finos franceses e italianos. De acordo com o Sindicato da Indústria de Laticínios de Minas Gerais, as vendas desses produtos praticamente dobraram nos últimos cinco anos, o que reforça a importância da região no setor.

Tudo começou com a chegada de um grupo de Dinamarqueses à região no início do século 20. Naquela época, estimuladas pela proximidade com o Rio de Janeiro, as cidades do atual circuito já formavam uma importante bacia leiteira. Em1920, o dinamarquês Thorvald Nielsen voltou ao Brasil com a família para abrir uma fábrica de queijos dinamarqueses em Minduri. Arrendou uma fabriqueta de queijo de minas na Fazenda Campo Lindo, entre Aiuruoca e Minduri. Nascia assim a marca Dana. Em 1924 chegaram alguns técnicos em laticínios da Dinamarca, entre eles Lif Kaj Godtfredsen, que trouxe consigo o fungo Penicillium roqueforti, com o qual fez o primeiro roquefort fabricado no Brasil. Alguns anos depois ele fundou a Skandia, com o slogan “o jeito escandinavo de fazer queijo”. A marca se consagrou pela qualidade de seu queijo gorgonzola. Outro jovem técnico, Axel Sorensen, depois de mal sucedidas experiências na obtenção de um queijo tradicional da Dinamarca, descobriu um produto novo, o queijo prato.

Hans Norremose, que chegou a ter 21 fábricas de queijo, trabalhou onze anos com Nielsen, substituindo-o no comando da principal fábrica de Minduri. Foi ele quem criou a marca Luna e o primeiro camembert fabricado no hemisfério sul. Era um queijo de massa macia, coberta de mofo branco, de origem francesa. Foi ele quem lançou o itálico, ou bel paese, o tilsit e o francês port-salut. A partir dos anos 30 houve mudanças no comando das fábricas e, em 1936, foram lançados queijos como o gouda, de origem holandesa, e o estepe – com receita próxima ao prato. Na década de 80 essas fábricas mineiras de queijos finos acabaram nas mãos de grandes multinacionais. A Luna, de Hans Norremose foi vendida para a Gessy Lever, a Skandia e Campo Lindo para o grupo francês Bongrain. E a Dana acabou controlada por uma cooperativa de Cruzília. Embora nenhum dos pioneiros dinamarqueses tenha feito sucessores, os ensinamentos continuam presentes nos modernos laticínios que respaldam a expansão dos queijos finos brasileiros que já concorrem de igual para igual com os famosos estrangeiros.

Click aqui para fazer o download na matéria publicada na revista Globo Rural edição nº100 de fevereiro de 1994.

 




Fazenda Cachoeira - Estrada da antena de TV Km 6 Chapada das Perdizes Minduri - MG